A solidão tem sido considerada uma epidemia moderna. Max Lucado foi preciso ao observar que solidão não é necessariamente a ausência de faces, mas a ausência de intimidade. A solidão não vem de estar sozinho, vem de se sentir sozinho. A solidão vem de se sentir enfrentando a vida, os desafios e o futuro sozinho. A saúde dos solitários paga um alto preço: alterações no sono, queda no sistema imunológico e aumento da pressão arterial são alguns dos problemas físicos agravados pelo isolamento.

É inevitável e universal a experiência da solidão. Você não se sentiu sozinho no seu primeiro dia de aula ou no seu primeiro dia de trabalho? Você já não se sentiu solitário(a) depois de levar um fora da namorada(o)? Portanto, a questão não é se você se sente ou não sozinho, mas o que faz nos momentos em que se sente sozinho.

Se a experiência da solidão é tão abrangente e possui tantas causas diferentes, perguntamo-nos: como é que se pode lidar com ela de forma saudável e proveitosa? Duas coisas são fundamentais: primeiro, tenha consciência de que há modos destrutivos de se lidar com a solidão e evite-os. São eles: viciar-se em trabalho, comprar compulsivamente, cultivar a autocomiseração. Essas atitudes agravarão os sentimentos e os efeitos negativos da solidão. Segundo: cultive atitudes positivas diante da solidão. Como isso é possível? Quais são essas atitudes? Vejamos algumas:

a) Tenha um propósito maior para sua vida – Não podemos fazer nossa felicidade depender de um único fator. Relacionamentos são importantes para nossa realização como seres humanos, mas há outras coisas importantes em nossa vida. Uma delas, certamente a mais importante, é ser fiel ao propósito da sua vida. O apóstolo Paulo, escrevendo na condição de prisioneiro, afirmou: “Combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé” (2 Timóteo 4.7).

b) Cuide de si mesmo – Não é porque alguém está sozinho que deva descuidar-se ou se maltratar. Você está sozinho, mas não precisa se castigar por isso. Não deixe de ir ao médico, de fazer exercícios, alimente-se bem etc.. É muito fácil que pessoas solitárias se deixem consumir por sentimentos de autocomiseração e autopunição.

c) Perdoe – Pior do que a solidão é o ressentimento. Sentir-se solitário e ainda alimentar ressentimento é receita certa para uma vida infeliz e miserável. Perdoe, dê uma segunda oportunidade para aqueles que fracassaram com você. Invista na reconstrução de amizades antigas e no cultivo de novos amigos.

Você se sente sozinho? Você está cercado de gente, mas ainda se sente sozinho? É importante que você saiba que Deus está ao seu lado e fará por você algo semelhante ao que fez por Paulo, que, se vendo abandonado por todos, afirmou: “… o Senhor me assistiu e me revestiu de forças” (2 Timóteo 4.17).

…..

por Rev. Valdinei A. Ferreira

Compartilhar via: